Últimas Postagens

  • 04/01
    O que é Landing Page e seus benefícios
    0

    As landing pages são uma importante ferramenta de marketing, abordando um assunto e objetivo específico, que por meio de calls to action (ou chamada para ação), captam informações dos usuários em troca de informações e assim aumentam significativamente as conversões.

    Diferença entre página Web e Landing Page

    Embora a definição de uma página da web e de uma landing page possa parecer semelhante, na verdade as duas são altamente distintas.

    As páginas da Web formam a estrutura hierárquica de um site e consistem em páginas como a página inicial, sobre nós, portfólio, clientes, produtos ou serviços, etc.

    As páginas Web, incluindo a página inicial, são projetadas para fornecer o valor institucional e facilitar a compreensão do público-alvo a obter informações sobre a empresa.

    As landing pages são consideradas paginas de destino e exclusivamente otimizadas para entregar uma promessa de conteúdo com o objetivo de converter visitantes em clientes.

    Ao contrário das paginas web, as landing pages normalmente não têm links externos nem navegação para outras páginas. Seu objetivo maior e praticamente único é fazer com que os visitantes cliquem na frase de impacto, que por sinal, foi pensada e calculada para trazer a maior conversão.

    A pagina de destino (landing page) deve ter conteúdo e funcionalidades específicas para:

    1. Atrair visitantes;
    2. Capturar dados como nome e e-mail do visitante;
    3. Converter o lead em um cliente.

    Tipos de página de destino

    Quais são os tipos de landing pages? Existem muitos tipos, mas falaremos nesse artigo sobre dois tipos essenciais de landing pages.

    Construção de relacionamento e páginas de clique

    O principal dessa página de destino é atrair visitantes para clicar em outra página. Esse tipo de landing page normalmente é usada em sites de comércio eletrônico. Ou seja, ela contribui com mais informações e detalhes do produto ou serviço ao visitante, antes dele realizar uma compra final.

    Muitas vezes o tráfego gerado por anúncios de entrada, como pagamento por clique, por exemplo, tem baixas conversões, já que na grande maioria das vezes os clientes em potencial são direcionados para paginas de registro ou carrinhos de compra.

    A razão pela qual isso pode levar a taxas de conversões ruins é que o visitante é levado até a página final antes de fornecer detalhes específicos do produto ou serviço que seriam benéficos para o ele em seu processo de tomada de decisão.

    Portanto, as empresas devem usar esse tipo de página que leva o visitante a uma página de registro ou de carrinho de compra como destino final, com maiores chances de conversão ou venda.

    Geração de Leads

    As páginas de destino de geração de leads são usadas para coletar informações de visitantes, como nome e e-mail, que permitirão que se engaje e comercialize de forma eficiente ao longo de uma jornada de compra.

    Esta página é composta de conteúdo detalhado sobre o que você está oferecendo, juntamente com um formulário para coletar dados do visitante em troca de conteúdo ou oferta específica. Tenha em atenção na duração do formulário, solicite apenas as informações de que necessita, uma vez que isso pode ter impacto na conversão. Portanto, é melhor mantê-lo curto e objetivo.

    Os motivos mais comuns de se usar esse tipo de página são:

    • Inscrição gratuita;
    • Inscrição em paginas de Blog;
    • Demonstração de produto;
    • Relatórios;
    • Inscrição em Newsletter;
    • Registro de Evento e Webnar;
    • Podcasts;
    • Ofertas de serviços.

    Além desses usos, uma página de destino também é bem-sucedida na geração de leads de vendas, aquecendo-os com detalhes essenciais sobre produtos e serviços. Isso pode levar à compra do produto da sua empresa on-line e aumentar o número de inscritos no seu site.

    Benefícios das Landing Pages

    Equipes de marketing e vendas são super beneficiadas quando trabalham com páginas de destino. As landing pages são uma ótima oportunidade para gerar leads qualificados para o funil de conversão de vendas. Alguns dos benefícios da landing page são:

    Funciona de forma automática

    Este é de longe o benefício mais popular que as empresas adoram. Você desenvolve uma landing page para um segmento (nicho) e comercializa como parte de sua estratégia de marketing de conteúdo. Os visitantes são persuadidos a conferir sua página e podem se inscrever ou fazer o download da sua oferta de adesão.

    O processo é automático, sem nenhum trabalho extra. Assim, você pode sair de férias facilmente com sua família, dormir ou trabalhar em seu próximo negócio sem se preocupar em gerar vendas manualmente para sua empresa.

    Credibilidade Instantânea

    Sua landing page lhe dá credibilidade aos olhos de seus visitantes. Isso porque, quando você desenvolve uma landing page para o seu visitante, você tende a resolver um problema para eles (um nicho específico). Assim, os visitantes do seu site irão considerar isso e acreditar no seu site. Isso dá credibilidade ao seu negócio e inicia um novo relacionamento baseado em liderança e confiança.

    Melhora a classificação de SEO

    Com o aumento da concorrência, as empresas precisam estar constantemente gerando conteúdo e conteúdo de qualidade relevante para manter o ranking de SEO. Com uma landing page, você pode alavancar sua classificação de SEO na web com mecanismos de busca como Google por exemplo. Esses mecanismos de busca classificam seu site em determinados resultados de pesquisa com base na sua autenticidade de conteúdo.

    Se você tiver uma página de destino relevante com conteúdo orgânico, ela definitivamente ajudará a elevar sua classificação nos mecanismos de pesquisa.

    Aumenta suas chances

    Muitas vezes, empresários preferem ter uma página de site para alimentar os clientes com enxurradas de informações sobre o produto ou serviço. Embora isso soe como uma tática de geração de leads, na verdade é exatamente o oposto.

    Um visitante do site será sobrecarregado com tanta informação para navegar através de uma página da web que pode simplesmente desistir da ideia de continuar o processo de compra, deixando você com uma oportunidade perdida.

    Por outro lado, uma página de destino fornece aos visitantes a solução para seus problemas e os direciona para cadastrar o endereço de e-mail e então atender às suas necessidades. No final do dia, você terá leads mais qualificados e valiosos.

    Para pequenas empresas, uma página de destino pode agir como uma mina de ouro com ímã de chumbo, se usada corretamente. As landing pages podem trabalhar para criar sua imagem de marca, confiança e ajuda você a se destacar da concorrência. Em outras palavras, você obtém   uma vantagem competitiva ao mesmo tempo em que atende às necessidades de seus visitantes e os converte em leads.

    E ai? Viu como é importante ter uma landing page?!

    A I9ME pode contribuir com o posicionamento digital da sua empresa, criando landing pages com expertise e qualidade, sendo referencia no assunto! Entre em contato conosco e descubra o que há de melhor!

  • 26/12
    Tudo o que você precisa saber sobre wireframes, mockups e protótipos
    0

    Os wireframes são o esqueleto. Mockups são a pele. Protótipos demonstram o comportamento.

    A diferença entre fases do processo de design pode ser confusa, especialmente devido a terminologia aplicada. Mas independente disso, é de suma importância que o designer saiba diferenciá-la.

    Embora pareça bastante óbvio aos especialistas, referir-se à uma maquete como um wareframe é como confundir um martelo com uma chave de fenda. E não saber como fazer um protótipo lo-fi (baixa fidelidade) é como um cirurgião não saber onde fazer o corte da cirurgia.

    Wireframes, mockups e protótipos

    São as ferramentas de trabalho de um designer e portanto, devem ser aprendidas de dentro para fora.

    Quer aprender a criar modelos de sites, quais as melhores ferramentas de wareframe ou como realizar uma prototipagem rápida? Então confira o artigo!

    Este artigo explicará o básico: o que cada um pode fazer, por que eles são úteis, alguns métodos comuns para construir cada um e até mesmo algumas práticas recomendadas. 

    Wareframe > Mockup > Protótipo

    Então, qual é a diferença? Embora não seja o único procedimento para projetar um site ou aplicativo, o processo de design tradicional segue essas três etapas.

    É uma simplificação grosseira, sem levar em conta as inúmeras variáveis ​​intermediárias, mas para o nosso propósito de explicar o básico, é uma boa base. Em geral, isso se correlaciona com o nível de fidelidade, que geralmente aumenta à medida que você avança.

    Reforçando, isso é uma simplificação excessiva e não a regra definida para todos os casos. Por exemplo, as vezes, ignorar os mockups e criar um protótipo lo-fi logo no início do projeto pode ser o melhor para o seu projeto. Alternativamente, você pode seguir um processo no qual progride de wareframes para mockups e finaliza em código.

    Sabendo disso, concluímos que não há um melhor processo, e sim o que mais se adequa ao seu projeto.

    Wareframes

    Os wireframes são como o esqueleto do seu projeto de design. Você os cria cedo, geralmente o primeiro passo (ou segundo, se preferir esboçar primeiro), e dedica tempo apenas para responder questões cruciais de layout, estrutura e organização antes que a equipe repita os detalhes visuais.

    Por esse motivo, os wireframes são de baixa fidelidade (lo-fi). Há um tempo e um lugar para tudo, e os detalhes visuais e técnicos devem ser decididos mais tarde, depois que o formato e a estrutura forem solidificados.

    Isso não quer dizer que os wireframes não devam se preocupar com questões visuais – você só precisa de detalhes suficientes para visualizar o layout geral e o espaço necessário para as categorias de elemento (como uma barra lateral, navegação superior, rodapé, conteúdo primário e assim por diante).

    Benefícios

    Como dito acima, os wireframes permitem que a equipe se concentre unicamente nas decisões de “grande importância” antes de mergulhar nos detalhes. As vantagens dos wireframes são que eles dão uma chance de planejar adequadamente antes de avançar, reduzindo o risco de ter que voltar atrás porque algo foi esquecido.

    Além disso, como uma entrega, os wireframes podem ser compartilhados com toda a equipe para que todos estejam na mesma página. Se você estiver usando uma ferramenta especializada em wireframes ou protótipos, diferentes membros da equipe podem modificar ou comentar o mesmo documento, o que incentiva a colaboração desde o início.

    Além disso, os wireframes podem ser mostrados para as partes interessadas que desejam ver os resultados desde o início e revelam possíveis edições antes de perder tempo desenvolvendo-as ainda mais.

    Métodos

    Devido à baixa fidelidade dos wireframes (lo-fi), existem mais métodos práticos para construí-los do que as outras fases. Vamos dar uma olhada em alguns.

     

    • Esboçar

     

    O jeito antigo! Simplesmente desenhe no papel o que está em sua mente, sem se prender muito aos detalhes. Isso é bom para um wireframe rápido em uma situação como brainstorming, mas esses esboços podem ser problemáticos para compartilhar com toda a equipe, e podem ser facilmente interpretados erroneamente. Se você preferir uma maneira metódica e estruturada de esboçar, pesquise mais detalhadamente sobre o esboço em camadas.

     

    • Software de design gráfico

     

    Se usar software como Photoshop ou Sketch for tão natural para você quanto desenhar no papel, então não há problema em escolhê-lo. No entanto, essa opção requer um conhecimento inato do programa e não permite adicionar interações fornecidas por alguns aplicativos de wireframing.

     

     

    • Software de apresentação

     

    Se você está trabalhando especificamente para uma apresentação, você pode construí-lo em software como o PowerPoint ou o Keynote. A estrutura de slides facilita o pensamento do seu design em termos de páginas, mas novamente essa opção não possui interatividade. O software de apresentação, no entanto, é muito familiar, já que a maioria de nós já usou o Powerpoint ou o Keynote em algum momento.

    O método não importa tanto, desde que seja adequado às necessidades e restrições do projeto. O importante é que você tenha uma ideia confiável de todo o projeto antes de avançar para as fases mais meticulosas.


     

    Mockups

    Mockups fazem para o visual o que os wireframes fazem para a estrutura.

    São exibições estáticas de como os recursos visuais do produto final devem parecer. Isso oferece a você a oportunidade de tomar decisões importantes sobre esquemas de cores, tipografia e estilo, dando-lhe algum tempo para experimentar e garantir que suas escolhas finais sejam as melhores.

    Os mockups preenchem os detalhes visuais que os wireframes ‘’negligenciam’’, adicionando a pele aos ossos. Como exibições visuais, podem ser de média ou alta fidelidade, dependendo do seu tempo e recursos.

     

    Benefícios

    Embora muitos designers considerem os mockups opcionais ou mesmo desnecessários, eles são importantes. Da mesma forma que o wireframing reserva tempo para tomar as decisões essenciais sobre a estrutura sem distração, os mockups reservam tempo para decisões relacionadas ao visual.

    Uma vantagem mais prática é que a qualidade dos recursos visuais é mais fácil de ser entendida para as partes interessadas (como seu cliente por exemplo). Os wireframes exigem que os espectadores usem sua imaginação, mas os mockups estão muito mais próximos do design final do produto.

    O que é um protótipo?

    Os wireframes relacionam-se a estrutura, os mockups ao visual e os protótipos lidam com a usabilidade.

    Prototipagem é a primeira fase em que você pode realmente interagir com a sua criação, mesmo que apenas ligeiramente. Os protótipos permitem que você explore a interface do usuário, identificando quais elementos funcionam melhor e prevendo problemas de usabilidade antes que eles se tornem de fato problemas.

    Benefícios

    Alguns argumentam que wireframes e mockups não são necessários, porém seguir adiante sem tê-los, não é possível. Os protótipos são críticos para todos os projetos que envolvem a liberação de um produto na natureza. Sem protótipos e testes com usuários primeiro, você estará pedindo por falhas.

    Um dos benefícios mais claros da prototipagem é a pesquisa de usabilidade. Um protótipo funcional abre a porta para o teste do usuário, cujos dados revelam problemas de usabilidade que precisam ser trabalhados e as preferências do usuário alvo. Em suma, o teste do usuário com um protótipo informa se o design está no caminho certo e, em caso negativo, quais mudanças são necessárias para chegar lá.

    Métodos

    Como uma fase crucial no processo de design, a prototipação deu origem a muitas variações e estratégias diferentes baseadas nas preferências pessoais dos designers.

    • Prototipagem de papel

    O “esboço” equivalente a protótipos. Essa abordagem não digital envolve páginas desenhadas no papel e, normalmente, um ser humano atuando como o “computador”, alternando o papel com base nas escolhas do usuário. Embora rápido e fácil de fazer, este protótipo bruto requer muita imaginação do usuário, limitando seus resultados.

     

    • Software de apresentação

     

    Ao vincular diferentes páginas, você pode criar um protótipo muito básico em softwares como o PowerPoint e o Keynote. Mais uma vez, estes são rápidos e fáceis de fazer, mas o custo é a interatividade limitada.

     

    • Protótipos Codificados

     

    Assim como os modelos codificados, isso economiza tempo nos estágios finais. A principal desvantagem, porém, é se a sua fluência de codificação é boa ou não.

     

    • Ferramentas de design

     

    Mais uma vez, aplicativos de design especializados vêm equipados com todas as ferramentas que você precisa, em uma interface propícia para esse fim. Você pode até escolher quando adiciona interatividade, com opções para wireframes interativos criativos, que são essencialmente protótipos lo-fi.

    Seu protótipo geralmente começa um pouco engessado, mas acaba ficando muito próximo do produto final. Quanto mais refinadas forem as interações (especialmente nas fases posteriores do projeto), melhores serão os resultados quando chegar a hora do lançamento oficial.

    Misturando e combinando

    No início, dissemos que apenas cobriríamos o esboço básico de wireframes, mockups e protótipos. Seu papel real no design não é tão fácil de explicar, e está sujeito a qualquer número de variações com base nos caprichos e entendimentos do designer.

    Algumas pessoas ignoram os mockups completamente. Outros esboçam rapidamente wireframes no papel antes de mergulhar em opções mais avançadas.

    Uma variação popular é a criação de protótipos lo-fi no início. Isso se encaixa bem no método de Prototipagem Rápida, que visa criar e testar rapidamente vários protótipos e reiterar os dados nas próximas versões.

    Embora a prototipagem rápida tenha a ver com o design aproximado, o processo é altamente influenciado pela entrada do usuário, o que significa que você realmente acaba com um produto final muito mais refinado.

    Conclusões

    O ponto principal que esperamos que você absorva é que, conhecendo as vantagens de cada estágio e como ele se encaixa no processo como um todo, você possa personalizar o processo da maneira que melhor lhe convier. Se você achar que toma as melhores decisões estruturais ao criar um gráfico detalhado, tente começar com um mockup.

    Se o seu projeto tiver muitas complexidades técnicas (talvez decorrentes de interações avançadas ou animações), tente criar protótipos logo no início para resolvê-los.

    A única ordem errada no processo é aquela que contraria as necessidades do projeto. Mas o que quer que o projeto precise, uma coisa é certa: um carpinteiro que sabe usar melhor seu martelo será capaz de fabricar qualquer tipo de mobília.

  • 20/12
    A proporção áurea em Web Design
    0

    Confira nesse artigo a aplicação da proporção áurea em web design e sua relação com o design UX.

     

    Como visto no artigo O que significa UX e UI, o design UX exige criatividade e ideias bem testadas, mas também perfeição e equilíbrio natural.

     

    Se você deseja surfar na mesma onda que Leonardo Da Vinci, Salvador Dali entre outras pessoas criativas e extraordinariamente geniais, então precisa entender o que todas elas têm em comum: o uso da proporção áurea em seus projetos.  

    Abordaremos aqui o por quê e como usar a proporção áurea no design da web para obter uma interface bem equilibrada e fazer com que as pessoas desfrutem ainda mais da experiência com o produto.

    Grande parte dos métodos e conceitos de arquitetura, engenharia, arte, etc., vieram dos antigos gregos, que foram um dos primeiros a descobrir uma bela assimetria encontrada na natureza: árvores, flores, animais, pessoas, etc. Eles expressaram esse fenômeno com a letra grega phi, mas hoje, nós chamamos de proporção áurea.

    Desde então, artistas, arquitetos, desenhistas, entre outros profissionais, buscam compreender as proporções e aplicar a na essência a proporção áurea no desenvolvimento de seus projetos. Isso porque quando utilizada, traz ao produto, entre outros fatores, uma estética agradável.

    Já parou para pensar que formamos opiniões em relação à beleza estética do rosto de algumas pessoas, sendo mais bonito que outros? Isso acontece de forma inconsciente no nosso cérebro, mas a realidade é que a localização e proporção das sobrancelhas, nariz, boca, olhos, etc., dessas pessoas está proporcional à proporção áurea.

    Há muitos anos, a proporção áurea é usada para determinar o formato dos cartões de crédito, livros, móveis, design de interiores, decoração das placas nos restaurantes, etc. Você vê isso no painel do Twitter, em Pirâmides de Gizé, em Da Vinci, no logotipo do Google, Pepsi, Apple, etc. Está literalmente em todos os lugares que você olha.

    Às vezes, não sabemos realmente porque escolhemos uma determinada coisa em detrimento de outra, mas, na maioria dos casos, se começarmos a medir a proporção, veremos que os modelos de proporção áurea são os preferidos.


     O mesmo acontece com o design do UX. As páginas da Web têm uma aparência mais clássica e equilibrada quando os designers de UX usam a proporção áurea no design web.

    Projetos que contemplem a aplicação desse conceito, tornam-se agradáveis aos olhos do usuário inconscientemente. Imagens, blocos de texto, barras laterais, botões, etc., quando bem aplicados formam o design perfeito, com usuários que se sentem à vontade para navegar e interagir com o site, por exemplo, já que as proporções lhe são familiares em muitas obras de arte conhecida, construções clássicas e à própria natureza.

    A aplicação da proporção áurea no design web, o torna atraente aos espectadores e, inconscientemente, o layout do site parece perfeito para eles, além de familiar. Isso faz com que estejam muito mais propensos a ler e visualizar seu site em profundidade.

    A proporção áurea em web design também é usada para equilibrar o conteúdo pesado, criar hierarquia e atrair os olhos dos usuários para áreas específicas. 

    Este é um dos gatilhos que você pode usar da neurociência em seus trabalhos e brincar com diferentes partes do cérebro do usuário.

    Matemática e ciência são fundamentais, além de incríveis! Elas nos ajudam a descobrir coisas desconhecidas e entender melhor a nós mesmos e ao nosso público-alvo. Como discutimos anteriormente, a maioria dos projetos esteticamente agradáveis ​​tem matemática em comum. Vamos ver mais em detalhes o que é a proporção áurea no design da web e quais são os números por trás dela.

    Regra de ouro em web design: matemática e beleza

    A proporção áurea é conhecida pelas proporções 1: 1,618.

    O retângulo de ouro é a forma mais usada para visualizar a proporção áurea, mas você também pode usar círculos e triângulos de maneira muito semelhante.

     

     

    Como visto na figura acima, você pode criar uma forma aproximada de espiral com círculos e esses círculos se encaixam perfeitamente dentro de um sistema de retângulos. É esteticamente atraente a aparência e tende alcançar a harmonia visual.

    Muitos designers usam o conceito da proporção áurea, porém há um grande número que não utiliza. Cabe ao designer escolher, principalmente com base nos conhecimentos já adquiridos e pela intimidade ou não com números e cálculos. Quem utiliza é porque provavelmente procura a perfeição na entrega e para ter certeza de que o design feito está qualitativo, bem pensado e calculado, ele aplica a proporção áurea.

    Agora vamos ver como a proporção áurea pode ser usada em outros elementos de design: 

    • TIPOGRAFIA

    Se você quiser usar a proporção áurea, é importante implementá-la também em seus elementos de design gráfico tipográficos . Por exemplo, digamos que você esteja usando uma fonte de 10 caracteres para o corpo do texto. Usando a proporção áurea, você pode determinar o melhor tamanho para os títulos multiplicando o número de texto do corpo por 1,618. Então, no nosso caso, será 10 * 1.618 = 16,18, que você pode arredondar para fonte 16. A combinação de 10 e 16 parece muito legal e, ao mesmo tempo, é bom para o design UX, pois você pode ver claramente o título.

    • IMAGENS

    É sobre como você corta as fotos e como as dimensiona. 

    Ao recortar fotos com a proporção áurea em mente, você também poderá considerar usar a espiral como um guia para a composição da foto.

     

     

     

     

     

     

    Por exemplo, você pode cortar uma foto em proporções áurea de forma que o ponto focal principal da imagem esteja no centro da espiral correspondente.

     

     

    • LOGOTIPO

    Você também pode usar a proporção áurea em branding. Mesmo que o logotipo em si não tenha o formato de um retângulo ou do triângulo do conceito de proporção áurea, ele ainda pode empregar elementos que usam proporções áurea.

     

     

     

     

     

     

     

    • LAYOUT

    A proporção áurea também é usada para dividir o espaço entre o corpo do site e a barra lateral. O princípio é o mesmo, o corpo é 1.618 vezes maior que a barra lateral.

    Está interessado em saber mais sobre proporção áurea em Web Design, assine a nossa newsletter e receba informações exclusivas sobre esse universo! E não deixe de acompanhar nossas redes socias, sempre com informações atuais e tudo o que está rolando no mundo digital.

     

  • 18/08
    O que significa UX e UI?
    0

    Você sabe o que significa UX e UI? Se ainda não sabe, já ouviu falar ou tem alguma dúvida, dedicamos esse artigo a você! Confira a seguir.

    O que exatamente é o Design da Interface (UI) do usuário e o Design da Experiência (UX) do usuário e qual a diferença entre os dois?

    Simplificando, a interface do usuário é (UI) como as coisas parecem e o design da experiência (UX) é como as coisas funcionam. O UX é um processo, enquanto a UI do usuário é uma entrega. Vamos entender um pouco mais.

    Design da interface do usuário

    O design da interface do usuário (UI) é um campo extenso. Teoricamente, a interface do usuário é uma combinação de conteúdo, como documentos, textos, imagens, vídeos, etc., somado a formulário (botões, campos de texto, caixas de seleção, listas, design gráfico, etc.) e comportamento mediante a ação do usuário (exemplo: o que ocorre quando o usuário clica, arrasta, digita, etc.).

    É necessário ter bons olhos, muita prática e muita tentativa e erro para realizar um bom trabalho. O objetivo de um designer de interface do usuário é criar uma interface envolvente, bonita e que crie uma resposta emocional do usuário para tornar seus produtos mais atraentes.

    O usuário ao ter contato com a interface do portal, aplicativo ou qualquer outro produto, executará ações e funções que o levarão a uma espécie de jornada. Essa jornada precisa ser maravilhosa.

    O designer de aplicativos, por exemplo, é o artesão que projeta essa jornada. Para tanto, todas as informações contidas na tela do usuário precisam estar organizadas para que a interface seja de qualidade.

    É responsabilidade também do designer UI de guiar o usuário durante a negação, mudando, desviando ou prendendo a atenção do mesmo, seguindo as estratégias para alcançar os objetivos propostos daquela aplicação.

    Para a criação perfeita do UI, são realizados brainstorms, experimentações, testes e a compreensão do uso dos usuários ao longo da utilização do produto.

    Quando se tem um produto bem projetado, a taxa de retenção de usuários passa a ser mais alta.

    Aspectos importantes sobre UI

    • Em uma tela, as pessoas sempre lerão as letras maiores, mais ousadas e com maior brilho primeiro.

    É da natureza humana. Nossa atenção é programada de tal forma que o que for maior, mais ousado e brilhante, será visto primeiro. Só então que o olhar se move para as coisas menores, menos ousadas e menos brilhantes.

    • Importância do alinhamento

    O alinhamento é um aspecto fundamental do design da interface do usuário (UI). Um dos princípios do design é minimizar a quantidade de linhas de alinhamento, melhorando a legibilidade e tornando mais agradável aos olhos humanos.

    Sobre alinhamento, existem dois tipos, sedo o de borda e o de centro.

    O alinhamento de borda é onde todos os elementos têm um lado ou borda alinhados com uma única linha. Já o alinhamento de centro é quando os elementos estão alinhados pelo seus pontos médios.

    • Arquiteto de atenção

    O designer UI precisa chamar a atenção de seu usuário com o design e ao mesmo tempo prestar atenção a cada pequeno detalhe no projeto.

    O UI Design é sobre a maneira de personalizar a experiência para os usuários, orientando a atenção deles para coisas importantes e distintas.

    Isso irá ocorrer quando variações de tamanho de letra, ousadia, brilho, largura do traço e distância entre as letras, por exemplo, forem aplicadas.

    Experimentar cores, fontes, tons, ângulos, alinhamento, layout, etc., será crucial para arquitetar uma jornada do usuário positiva, chamando-o a atenção de diversas maneiras.

    O que significa UI já foi respondido, agora chegou a hora de entender sobre UX.

    Design de experiência do usuário

    O design de experiência do usuário (UX) é sobre a criação de experiências agradáveis e sem problemas.

    Elencamos 6 fatores importantes que compreendem a boa experiência do usuário

    • Usabilidade: motivo pelo qual o usuário está usando a aplicação, qual a funcionalidade principal e quais os ajustes devem ser realizados. Como reduzir o número de etapas dentro dos processos da aplicação, quais os objetivos do usuário com a mesma e como tornar a experiência mais agradável;
    • Perfil do usuário: identificação das características do usuário, o que eles desejam alcançar usando a aplicação. Para que essa identificação ocorra com sucesso, o entendimento do mercado e limitação do público-alvo é importante. Identificar a principal funcionalidade do produto e medir continuamente a satisfação que é entregue ao perfil do usuário identificado faz parte da boa experiência;
    • Permissões: é importante que o aplicativo móvel peça permissões para envio de notificações, pushs, serviços de localização, integrações com mídias sociais, e-mail, etc. As notificações de permissões devem ocorrer apenas quando o usuário estiver prestes a usar o recurso e não quando o mesmo abrir o aplicativo, por exemplo;
    • Forma versus função: o design nem sempre é sobre forma (cores, fontes, layout…), é também sobre funcionalidade. O olhar deve ser da função sobre a forma.
    • Consistência: consistência com a aplicação e a marca para não gerar confusão no usuário. Consistência não apenas em aparência, mas também em funcionalidade;
    • Simplicidade: aplicativos devem ser simples, ‘’à prova de avó’’, ou seja, mesmo para leigos em tecnologia, a aplicação deve ser simples e intuitiva no uso.

    Aspectos importes sobre UX

    • O lançamento de aplicações não devem conter manuais e tutoriais longos explicando como usá-lo. As informações devem chegar ao usuário de forma detalhada apenas quando forem necessárias. A criação de um design em que o usuário descubra em poucos segundos como utilizar a aplicação, utilizando dos princípios de design intuitivo são importantes para UX;
    • Confirmações frequentes são prejudiciais à experiência do usuário, sendo aconselhável apenas solicitar em fases determinantes do processo durante o uso.

    Recapitulando

    UI Design: User Interface Design (Design de Interface do Usuário) é forma pela qual uma pessoa interage e controla um website, software ou aplicativo. Seja por botões, menus ou qualquer elemento que permita essa interação. É tudo aquilo que é perceptível visualmente.

    UX Design: User Experience Design (Design da Experiência do Usuário) procura entender as necessidades, emoções, sentimentos e reações dos usuários. O objetivo é constatar as facilidades de uso, as percepções de valor do sistema e utilidades das tarefas para proporcionar a melhor experiência possível aos usuários.

    Na I9ME reunimos estes dois conceitos e aplicamos em todos os projetos que nos envolvemos. Em outras palavras, há um estudo minucioso sobre o projeto em si e seus usuários, com o propósito de entregar um produto final que seja, além de encantador, extremamente funcional.

    Esperamos que esse artigo tenha ajudado a compreender o que significa UX e UI.  E se ainda surgirem dúvidas, deixe seu comentário que ficaremos felizes em contribuir!

     “Design não é apenas o que parece e se sente. Design é como funciona”. Steve Jobs.

  • 15/08
    O Papel do Design Gráfico Estratégico
    0

    É fundamental que as marcas e empresas consigam se destacar frente aos concorrentes e, para tal, criar estratégias visuais e de comunicação são fatores cruciais. Nesse contexto, não há como não falar do profissional de Design Gráfico (ou designer gráfico).

    Neste artigo abordaremos a importância de um designer gráfico nos projetos da sua empresa, que possui habilidades e competências que contribuem para o destaque e posicionamento da marca.

    O design em sua concepção mais ampla contribui para soluções de problemas cada vez mais complexos. Assim o design gráfico evolui em formas e funções para se conectar com as pessoas.

    O papel do design gráfico estratégico está relacionado à visão multidisciplinar, encontrando soluções tecnológicas, de negócio, estratégias de marketing e comunicação para o desenvolvimento de soluções.

    Ao entender o funcionamento da empresa, o design gráfico atua de forma estratégica projetando os processos nela existente, melhorando ou redefinindo-os, a fim de reduzir os esforços desnecessários e redirecioná-los para melhorar a conexão com os usuários ou clientes.

    Ou seja, o design gráfico estratégico articula as necessidades estratégicas da empresa com as necessidades dos usuários e/ou clientes para projetar os produtos e serviços de que precisam, buscando agir de forma inovadora.

     

    O que um designer gráfico estratégico deve levar em conta?

    Se tratando de comunicação, o designer gráfico levará em consideração alguns fatores, são eles:

    • Posicionamento atual da empresa ou marca;
    • Impressões e opiniões do pessoal interno e externo;
    • Pontos fortes e fracos, ameaças e oportunidades da empresa (a conhecida análise SWOT);
    • A comunicação estratégica realizada frente aos concorrentes.

    Existem ainda varias áreas nas quais o designer gráfico atua para que a comunicação da marca seja clara e consistente. Elencamos algumas delas!

    • Material impresso

    Como cartões, anúncios, papelarias, etc. sendo todo o material produzido com a mesma linha de design;

    • Embalagem

    Embalagens, caixas, entre outros, com capacidade de gerar alto valor no mercado quando apresentam inovação e originalidade;

    • Site

    Sendo esse um dos aspectos mais importantes atualmente, já que a maioria do público está presente na internet, nas redes sociais, etc., estar em boa colocação nos rankings de pesquisa e ter um bom site é vital para o reconhecimento, credibilidade e imagem da marca perante um cliente potencial.

     

    É de suma importância que o design gráfico represente a empresa em profundidade, reconhecendo a personalidade, os objetivos e os valores que a marca quer transmitir. Assim, criar todo o universo material e visual que envolve empresa poderá ser feito com excelência.

    Entendemos o planejamento estratégico como um dos contextos mais importantes para o sucesso dos negócios, devemos então relacionar o design nessa esfera, de tal forma que todas as estratégias previstas sejam suficientemente favoráveis para atingir os objetivos da organização.

    A I9ME tem know-how e experiência para lidar com esse tipo de desafio e por isso, nossa proposta é apoiá-lo através de um trabalho pautado em resultados concretos para que a sua empresa decole e supere qualquer desafio.

  • 11/08
    Como usar vídeo marketing animado para melhorar o posicionamento da marca
    0

    Muito provavelmente você já saiba que a imagem é algo muito importante. Isso porque o sucesso de uma empresa depende de como os consumidores veem a sua marca.

    Por esse motivo, as empresas que estão antenadas e preocupadas com o posicionamento da marca, se esforçam continuamente para definir e nichar cada vez mais o mercado e, paralelamente, construir na mente dos consumidores uma impressão positiva e exclusiva.

     

    Criar uma identidade e posicionamento de marca é resultado do foco em engajamento com potenciais clientes, porém existem maneiras de consolidar e concretizar o posicionamento nas mentes do público-alvo.

     

    Seja lançando um novo produto ou reformulando-o, você pode utilizar dessas oportunidades para diferenciar a sua marca e empresa da concorrência.

     

    Quer saber como?

    O vídeo marketing animado é uma excelente ferramenta que pode te auxiliar nisso!

    Essa ferramenta passou a ganhar popularidade nos últimos anos devido, em partes, ao algoritmo do Google no ranking de sites.

    Faz parte das métricas de análise dos algoritmos do Google, o tempo em que as pessoas permanecem nos sites que acessam. Através de vídeo marketing animado, as empresas perceberam que o tempo em que as pessoas permanecem nos sites aumenta devido ao envolvimento com conteúdo e principalmente pela forma como foi transmitido. Recomenda-se então a utilização de vídeo marketing animado para transmitir a mensagem e aumentar o posicionamento da sua marca à massa.

     

    Elencamos três maneiras que o vídeo marketing animado pode contribuir com a solidificação e o posicionamento da sua marca:

     

    1. Vídeo marketing animado personalizado

    Através de vídeo marketing animado você poderá criar a própria imagem da empresa, tornando-a exclusiva, além de causar uma impressão positiva e de longo prazo com os clientes potenciais.

     

    É hora de colocar a imaginação em jogo e determinar alguns aspectos importantes, como:

    • Paleta de cores;
    • Conteúdo;
    • Estilo da animação;
    • Música;
    • Personagem que representará a marca;
    • Tipo de narração.

     

    Da escolha das cores ao tipo de narração, são aspectos que deverão ser escolhidos de acordo com a impressão que a empresa deseja transmitir e que serão fixados na mente do consumidor. Eles são recursos oportunos, que aliados à criatividade, comunicarão a visão e os valores ao público.

    Ao criar um estilo de vídeo marketing animado para a sua empresa, lembre-se que o mesmo deve corresponder ao visual da sua marca. É através dele que sua marca ganha vida e dinamismo, conectando cada ação do vídeo (não só a logotipo) à proposta de valor da empresa.

    Traços, fontes, estilo de caractere… Tudo isso contribui ativando os sentidos dos consumidores, que os conectarão com sua marca.

     

    1. Vídeo marketing animado contam histórias de impacto

    Brand storytelling é a palavra da vez!! Provavelmente você já deve ter ouvido falar, e se ainda resta alguma duvida sobre o impacto que isso causa, será compreendido agora.

    As empresas que estão preocupadas em se atualizarem e se posicionarem de acordo com os modelos atuais que impactam o consumidor, utilizam dessa técnica por razões bem claras. Contar história não é apenas tendências de marketing, mas uma maneira de comunicar valores e visões de forma autêntica e personalizada.

    As histórias são convincentes e universais, nos prendem a atenção. É por elas que nos identificamos e relacionamos a marca às experiências que queremos viver ou reviver.

    Com o poder da narrativa, as empresas podem envolver o consumidor da mesma forma que filmes e bons livros captam a atenção e tempo do expectador/leitor.

    Um vídeo marketing animado, utilizando das técnicas de brand storytelling causa grande impacto no consumidor, uma vez que você pode transmitir desde a história da sua empresa às novidades de produtos ou serviços, valores, visões, etc.,  conectando os clientes a sua marca de forma clara e concisa, com formato incrivelmente divertido.

    Algo muito interessante também é contar as histórias dos seus próprios clientes, com movimentos, cores e todos os outros aspectos citados anteriormente, demonstrando entendimento e familiaridade com as dores que sentem, problemas que desejam resolver e como resolvê-los, atingindo o objetivos desejados.

     

    1. Acessibilidade e compartilhamento de vídeo marketing animado

    Nas ultimas duas décadas, percebeu-se a mudança significativa nas estratégias de marketing. A preocupação das empresas em anúncios impressos e atraente ou investimentos de fortunas em comerciais de TV não fazem parte mais da rotina das áreas que lidavam com isso.

    Hoje as empresas sabem que é através do posicionamento digital que atingirão seus consumidores.

    A Internet contribuiu muito para o avanço e melhora nas relações das empresas e seus clientes, uma vez que no passado, a área de marketing das empresas falava diretamente com o consumidor, mas não tinham canais rápidos e eficazes para ouvi-los. Da mesma forma o consumidor não tinha voz ativa.

    Com esse avanço, a comunicação passou de fato a existir, sendo muito próximo de um diálogo, em que as duas pontas falam. Possibilitando assim que elogios e reclamações, por exemplo, cheguem rapidamente à empresa, que poderá se reposicionar, mudar, evoluir e melhorar a cada dia a experiência do consumidor.

    O consumidor de hoje procura pelas empresas através de canais online, principalmente via sites e mídias sociais, que permitem acessibilidade e compartilhamento das informações encontradas.

    Se os consumidores estão online, é ai então que seu conteúdo precisa estar. E como o foco desse artigo é evidenciar as vantagens de vídeo marketing animado, quando você utiliza desse recurso em sites e mídias sociais, não só torna mais acessíveis a comunicação e informação com seu cliente, como também facilita o compartilhamento com outras pessoas.

    Quanto mais fácil o acesso e compartilhamento do seu conteúdo, maiores são as probabilidades de atrair novos clientes. Lembrando que, utilizando vídeo marketing animado, o potencial de audiência aumenta devido às viralizações que boas produções podem trazer!

     

    Ação!

    O vídeo é considerado um dos melhores meios para informar, envolver, engajar e entreter clientes em potencial. Se você está procurando tornar a marca da sua empresa duradoura nos consumidores, agora é a hora! Comece o quanto antes a colocar em prática as dicas de hoje e compartilhe conosco os resultados.

     

    Nós da I9ME ficaremos felizes em contribuir com conteúdos para posicionamento digital da sua empresa!

     

     

     

  • 05/07
    5 Dicas importantes para construir um site
    0

    Fonte Unsplash

     

    Não é novidade para ninguém que hoje TUDO está na internet. Encontrar um restaurante, pedir comida, assistir a um filme, pesquisar informações: tudo tem se relaciona com a internet. E para a grande maioria dessas coisas poderem ser encontradas na rede on-line, tornou-se necessário a construção de sites. Existem muitas empresas de desenvolvimento web e profissionais de web designer, mas nem todos podem oferecer em seus serviços de criação as estratégias que listamos abaixo.

     

     

    Confira agora 5 dicas importantes para construir um site!

     

     

    Design Responsivo

     

    Já ouviu falar em design responsivo? Se ainda não, iremos te explicar! O design responsivo é a capacidade de um website responder a qualquer tamanho de tela em que a pessoa esteja visualizando o seu site.

    Hoje em dia, grande parte das pessoas que utilizam internet estão conectadas através de um smartphone. Para melhor atendê-las, um website responsivo será capaz de ajustar as páginas do site a qualquer tamanho de tela de celular (ou dispositivo) automaticamente. Dessa forma, evita-se problemas com a visualização das informações, legibilidade e outras características que podem prejudicar a experiência do usuário. Em outras palavras, seu usuário não precisará dar zoom nas informações e nem terá dificuldades de navegar no seu site.

    Então não se esqueça, quando for contratar o desenvolvimento de um novo site ou atualizar o atual, verifique se ele será RESPONSIVO.

     

    Chamada para ação (CTA)

     

    Call to action ou chamada para ação, é basicamente uma palavra, frase ou botão que convida os usuários a fazer algo específico. Ou seja, orientar de forma muito clara e objetiva o que você deseja que o usuário faça, atingindo o objetivo proposto naquela página.

    Seja responder um formulário ou obter mais informações sobre você. A call to action é fundamental quando desejamos que os usuários passem a se conectar com nossos canais e propostas, direcionando-os a agir de uma determinada maneira.

    Em resumo, você deve dizer ao seu público de maneira delicada e convincente o que ele deve fazer.

    A chamada para ação poderá ser utilizada na sua página web, nas redes sociais, em artigos e posts, em e-mails e newsletter, landing pages, vídeos, etc…, sempre como direção final para a sua audiência.

    Exemplos de CTA:

    • Acesse agora mesmo…
    • Faça o download do e-book…
    • Quer saber mais? Entre em contato…
    • Quer receber um orçamento? Preencha o formulário…

     

    Simples e objetivo

     

    Site simples e objetivo é uma das dicas mais importantes para construir um site que devemos elencar aqui. Nem todas as pessoas possuem um grande nível de profundidade para entender como funciona um site e como navegar nele. A chave para um website eficaz é mantê-lo o mais simples possível, com facilidade e funcionalidades acessíveis. Assim, independente no nível de entendimento de quem esteja visualizando, as informações serão sempre encontradas rapidamente.

    Seja um site de comércio eletrônico ou apenas um portal informativo, ser simples é a melhor opção, com atenção e cuidado aos textos, fotos, cores e elementos.

     

    Bom conteúdo

     

    Todo site deve ter um bom conteúdo, em que a leitura e compreensão sejam feitas por todos facilmente. Um bom conteúdo não serve apenas para seus visitantes adquirirem informação e conhecimento, mas também ajuda na otimização de mecanismos de pesquisas e buscas, permitindo que seu conteúdo seja encontrado de forma mais rápida pelos usuários. Resumindo, se você criou um material realmente interessante, as chances de você aparecer entre as primeiras opções do Google aumentam consideravelmente.

     

    Fotos profissionais

     

    Use sempre fotos profissionais em seu site, com qualidade e edições (se necessário) que reflitam um excelente design. É recomendado que ao iniciar a construção de um site, produza com profissionais um banco de imagens que possa ser utilizado para compor o visual das páginas. Afinal, uma imagem vale mais que mil palavras, certo?!

    Se não for possível produzir um banco de imagens próprio, é interessante procurar fotografias em sites especializados em imagens profissionais. Para isso, talvez seja necessário investir um pouco de dinheiro para obter o direito sobre o uso destas imagens. Entretanto, há também opções gratuitas.

     

    Outros cuidados na contratação e desenvolvimento de um website também são relevantes, mas as 5 dias importantes para construir um site que citamos aqui já são suficientes para iniciar!

    Na I9ME, o desenvolvimento de websites é realizado seguindo todas as técnicas e cuidados elencados acima, buscando o que há de melhor e mais atualizado, atendendo as necessidades e mecanismos de pesquisas, com foco na qualidade da entrega.

    Esperamos que esse artigo tenha sido útil e ficaremos felizes em poder contribuir com o posicionamento digital da sua empresa.

  • 03/07
    Como gerar o efeito UAU
    0

    Características como usabilidade, preço justo e soluções que não tenham a necessidade de instalação já não são mais consideradas diferenciais causadores do efeito UAU. Elas já passaram a ser consideradas como características básicas e fundamentais na área, ou seja, já não são mais esses fatores que agregam valor ao usuário. Quando se trata de gerar o efeito UAU é necessário muito mais!

    Diante disso, quais são as práticas e cuidados que as empresas devem ter para conquistar o público-alvo e engajá-lo, afim de torná-lo apaixonado pela solução oferecida?

    Hoje, com o avanço da tecnologia, nos deparamos com milhares de plataformas que se propõem a resolver problemas de usuários, porém poucas conseguem de fato tornar a experiência incrível e fazer com que eles se apaixonem verdadeiramente.

     

    Entenda como gerar o efeito UAU

    O efeito UAU é aquele que causa impacto nos clientes, chama atenção e não permite nem os olhos piscarem. Pode parecer exagero, mas este efeito é sinônimo de “experiência incrível”! Pra encontrar esse efeito é necessário ir além daquilo que os clientes já consideram como pré-requisitos – tem que ter inovação no sangue -.

    Com o intuito de entender como as empresas podem gerar valor, experiência incrível e entusiasmo, separamos algumas dicas para contribuir com o seu negócio. Confira!

     

    FOCO DO USUÁRIO

    Alguns erros são comuns às empresas que buscam gerar o efeito UAU e um deles é o descuido com estratégias que prendem a atenção e o foco do usuário. Para evitar que isso aconteça, é importante que:

    • Estude o usuário antes de criar soluções para ele;
    • O foco de todos os envolvidos na criação do produto deve estar voltado ao usuário e não a interesses particulares da empresa;
    • A complexidade das soluções propostas deve estar alinhada com o nível de entendimento do usuário;
    • Antes de entregar a solução, certifique-se de que o MVP (mínimo produto viável) foi feito de forma completa para evitar que o produto pronto passe por mudanças constantemente;
    • É importante focar em um nicho específico, mas certifique-se de que o produto não resolva apenas problemas pontuais;
    • O foco da administração não deve ser apenas em aumento de faturamento.

     

    PENSAMENTO SISTÊMICO

    O pensamento sistêmico compreende um olhar sobre todo o contexto e não especificamente do indivíduo isoladamente. É uma maneira atual que a empresa deve ter para solucionar perspectivas mais complexas, unindo vários pontos de vista para uma visão multidimensional do problema.

    Ou seja, a empresa conseguira criar soluções sistêmicas a partir da união de perspectivas diferentes de cada área ao equilibrá-las. Quatro principais fatores para o desenvolvimento do pensamento sistêmico são:

    • Domínio pessoal: a capacidade de cada envolvido no processo em obter resultados que vão além dos interesses pessoais e da empresa e sim para todos que fazem parte da cadeia;
    • Modelos mentais: foco em melhoria continua e na quebra de paradigmas e crenças limitantes. Não há nada que não possa ser mudado ou questionado;
    • Visão compartilhada: apesar de desafiadora, a visão deve ser compartilhada com todos, que devem estar engajados com o que se deseja criar;
    • Aprendizado em equipe: é a capacidade de unir talentos individuais e transformá-las em aptidões coletivas.

     

    TIMES MULTIDISCIPLINARES

    Conhecidos também como times multifuncionais, as equipes multidisciplinares são compostas por profissionais de diferentes áreas, que através da sinergia, são capazes de resolver problemas de maneira excelente.

    Tratando do desenvolvimento de produtos que buscam gerar o efeito UAU no usuário, a combinação dos cinco profissionais listados a baixo, podem gerar proximidade entre a equipe e resultados espetaculares:

    • Designer;
    • Frontend;
    • Backend;
    • Analista de marketing;
    • Gerente de produto.

     

    Começar do jeito certo é a melhor escolha que a empresa deve fazer. Reduzir os erros e falhas no inicio do desenvolvimento do produto pode ser o fator determinante para que o produto chegue às mãos dos usuários de maneira impactante.

    Portanto, antes mesmo da empresa ‘’existir’’ de verdade, faça o maior número de testes e ajuste o MVP (como foi falado anteriormente!).

    O ponto de partida é entender o problema que se deseja resolver em sua profundidade e, só depois, criar estruturas das soluções. Uma conta muito utilizada para saber se vale a pena desenvolver essa estrutura do produto, é verificando se o retorno será de, no mínimo, 3 vezes mais que o valor investido na solução.

     

    RESOLVER UM PROBLEMA

    Muito falado no mundo das Startups, a regra de ouro é focar em resolver um único problema de cada vez. Soluções muito complexas, que buscam resolver diversos problemas podem ocasionar a perda de foco da equipe, além de investimentos mais altos e exigir mais manutenção.

     

    DEFINIR UM PROPÓSITO

    Tão importante quanto à definição do problema, deixar claro qual é o propósito da empresa acima dos lucros que deseja obter, é fundamental para gerar valor aos usuários e, consequentemente, conquistá-los. A definição do propósito contribuirá para o foco e priorização das atividades principais que permitirão a entrega da proposta de valor, além de motivar a equipe como um todo nos momentos difíceis da execução do projeto.

     

    USABILIDADE

    Não podemos deixar de evidenciar os problemas de usabilidade das soluções propostas. Normalmente isso ocorre quando a fase de validação foi incompleta ou pouco qualitativa.

    É comum o usuário ter contato com o produto, experimentá-lo e ainda assim não se tornar cliente. Para solucionar esse problema, provavelmente será necessário revisar a usabilidade da ferramenta.

    • Identificar o perfil do usuário: coloque a mão na massa e conheça seus clientes. Quem toma a decisão de compra? Quem são os fãs do seu produto e quem irá divulga-lo? Qual o perfil de usuário constante do seu produto? Identifique os comportamentos comuns a esse público! De qual dor eles sofrem? O que eles esperam que seu produto resolva?
    • Observar como o usuário utiliza o produto: seja por vídeos ou presencialmente, veja como as pessoas utilizam o produto pela primeira vez. Anote as dores observadas nos usuários para aprimorar o produto;
    • Reduzir funcionalidades: elimine as funcionalidades que são utilizadas por 1% dos usuários, que muitas das vezes não geram receita e geram desgaste e consomem tempo. O que ficar será a essência do produto!
    • Validar com usuários: tudo é hipotético. Ao se comunicar com o usuário, o risco de lançar um produto que não será usado por ninguém diminui consideravelmente. Além disso, seus usuários estarão dispostos a pagar por ele? Quanto melhor for a validação com os usuários, rever soluções, simplificar os processos, melhorar a usabilidade e acompanhar os resultados, maiores serão as chances de entregar o produto certo ao público desejado.

     

    Moral da História

    O efeito UAU é consequência de muito trabalho e dedicação, sempre focando no usuário e nas necessidades que eles desejam que sejam atendidas. Para isso, aconselhamos sempre estudar muito bem o seu público, imergir de cabeça nos problemas e, então, encontrar soluções totalmente novas. Só assim você fará com que todos fiquem de boca aberta!

     

    A I9ME quer saber se algum produto, marca ou serviço já fez você sentir essa sensação. Se sim, compartilhe com a gente aqui nos comentários.

  • 28/06
    Elementos visuais na estratégia de marca da sua empresa
    0

    Fonte iStock

    Tão importante quanto a qualidade dos seus produtos e comunicação, os recursos visuais utilizados pela sua empresa têm grande relevância na eficácia de capturar a atenção do seu público-alvo e gerar reconhecimento da marca.

    Neste artigo abordaremos os elementos visuais como estratégia de posicionamento de marca da sua empresa. Confira!

     

    Ao construir sua marca, incluindo sua história, cultura, personalidade, promessas e assim por diante, é preciso incluir os componentes visuais como recursos estratégicos para o posicionamento da empresa.

    Os recursos visuais geralmente são a maneira mais poderosa e eficaz de chamar a atenção do seu público-alvo e assim, gerar o reconhecimento da sua marca, desde que esteja sendo implementado corretamente esses aspectos visuais. Incluindo recursos visuais na estratégia de marketing, sua marca atingirá o sucesso a longo prazo!

    O mundo está se tornando cada vez mais visual, não há como negar. E você deve ser capaz de adaptar esses recursos à sua estratégia de marca. Falaremos mais detalhadamente e com profundidade a seguir.

     

    O que é identidade visual da marca e por que ela é tão importante?

    A identidade da marca envolve todos os elementos que representam a forma como a sua marca é percebida e os elementos visuais contribuem nessa percepção.

    A forma como a sua empresa se apresenta visualmente falando é mais do que simplesmente cores e design. Ser consistente com a identidade visual da marca atinge mais efetivamente sua audiência do que aquelas marcas que não são.

    A identidade visual da sua marca é um reflexo perfeito da sua empresa, para tanto, faz-se necessário dedicar tempo em pesquisas, garantindo assim que ela represente de maneira precisa, impactante e positiva e que esteja alinhada com toda a comunicação da marca.

     

    A importância de conhecer seu público

    Falamos sobre a importância da identidade visual, mas sua estratégia visual só terá valia quando se tem a compreensão de quem é seu público-alvo e quem deseja atrair. Podemos afirmar com certeza que se você não souber sobre seu público, esforços operacionais, em marketing e marca visual serão em vão.

    Vale ressaltar também que os aspectos visuais da sua marca são para os seus consumidores e não para você. Certifique-se de ter isso sempre em mente. Entender os desejos e necessidades do seu consumidor ajudará a sua empresa a ser atraente, oferecendo o que desejam e da forma como esperam receber.

     

    Como destacar sua identidade visual

    • Seja único: se destaque dos demais! Para ser eficaz, é preciso que você tenha total compreensão de quem é a sua concorrência, qual o posicionamento que elas possuem e o que a sua identidade visual tem que te diferencia dos demais;
    • Seja memorável: faça com que seu público possa olhar rapidamente para os elementos visuais da sua identidade visual e saber exatamente o que está vendo, mesmo que não esteja inserido em nenhum contexto. Como por exemplo, o ícone a seguir não possui nenhuma referência em texto ou contexto, mas mesmo assim, usuários ávidos de mídia social saberão instantaneamente que esse é o logotipo do Instagram.                       
    • Faça tudo combinar: cada elemento visual da sua marca deve ser coeso e se relacionar com os outros elementos sem precisar de muito esforço.

     

    Para uma forte identidade visual da marca

    • Obtenha seu logotipo certo

    Provavelmente você passara por várias mudanças até definir a ideal, mas vale a pena. Lembre que seu logotipo será estampado em quase tudo o que a sua marca faz e a impressão que você deseja transmitir é a de que faz isso muito bem, certo?!

    A personalidade da sua empresa deve brilhar através do logotipo, sem que precise de outros elementos para tal.

     

    • Crie uma paleta de cores consistente

    Se você passar a reparar, as marcas mais conhecidas usam paletas de cores consistentes (quem não lembra do vermelho quando pensa em Coca Cola?!). As marcas de renome são coerentes com suas cores no logo, nos seus textos, imagens, designs e demais elementos, pois ajudam a torná-las mais reconhecíveis.

    Escolha apenas algumas cores e aplique-as em tudo que sua empresa faz. Lembre-se que as cores escolhidas devem refletir a personalidade da empresa e da marca. Uma boa exemplificação é a de um escritório de advogados, que ao pensar neles, provavelmente, virão na sua cabeça cores mais neutras e conservadoras.

    Repare no nosso site www.i9me.com.br, percebe que vários tons de azul são utilizados em quase todas as partes, incluindo também logotipo, textos e designs do site?! Veja, isso não foi por acaso!

     

    Escolha uma fonte que corresponda à sua personalidade de marca

    Não se esqueça, junto à paleta de cores, é necessário estar atento à fonte usada, pois ela também poderá falar sobre o tipo do seu negócio. Se o seu negócio é algo mais sério, provavelmente a paleta de cores utilizada será totalmente diferente daqueles negócios em que são mais alegres e divertidos. Tudo dependerá de como você quer ser retratado.

    Uma dica importante é: a escolha da fonte deverá corresponder à personalidade da empresa, garantindo que ela represente a percepção que seu público terá de você.

     

    Escolha imagens que cativem seu público

    Talvez esse tópico não tão fosse necessário por ser óbvio, mas muitas empresas usam imagens em seus sites que, infelizmente tornam a mensagem que querem transmitir mais confusa do que se não usassem nenhuma. Não há problemas em usar imagens, mas certifique-se de elas se conectem a sua marca e conversem com seus clientes potenciais.

     

    Não se esqueça do layout

    Muitos ainda acreditam que se já tiverem logotipo, cores e fontes determinadas, já são boas o bastante para serem competitivas, mas a realidade é que ainda tem mais um detalhe: layout!

     

    No layout você fará com que todos os elementos citados anteriormente fluam juntos e com igual importância. Fique atento em como você utiliza uma estratégia para unificar todos eles sem perder o reconhecimento da marca.

     

    Use o visual para trazer emoções

    Quanto mais conexões emocionais você conseguir fazer com o seu público, maiores são as chances de você confiar na sua marca e torná-la atrativa.

    Reflita… Como você quer que seu público pense e sinta quando tiver contato com sua marca? Faça essa pergunta a você mesmo e lembre-se que os recursos visuais (mais do que palavras) poderão informar rapidamente aos clientes se sua marca é boa para eles ou não.

     

    Teste seus conceitos iniciais

    Como em qualquer fase do marketing, é necessário testar e otimizar os elementos visuais da marca até chegar em uma definição que realmente esteja conectada com seus clientes.

    Com a explicação de todos esses elementos que fazem parte do marketing, lembre-se que, em primeiro lugar, coloque a estratégia para funcionar. Aplicando tudo isso, criar elementos visuais será muito fácil, pois seguindo as etapas, terá informações valiosas de como sua marca é vista pelo público-alvo e o que eles desejam, assim como reconhecer quem é a sua empresa, o que ela representa e quem deseja atrair.

    A I9ME tem know-how e grande experiência em elementos visuais para compor a estratégia da sua empresa e por isso queremos te apoiar através de um trabalho pautado em resultados concretos, colaborando com o crescimento da sua marca.

    Gostou desse artigo? Como podemos auxiliar a sua empresa com o posicionamento digital?

    Fique ligado que estaremos frequentemente compartilhando conteúdos e conhecimentos da área!

  • A importância da identidade visual
    0
    Fonte iStock

    Fonte iStock

    Muito antes dos seus clientes entrarem na sua loja ou comprarem seu produto – e até mesmo antes de fazerem pesquisas online -, elas já possuem uma opinião sobre sua empresa. A maioria das impressões obtidas pelos clientes é olhando para sua identidade visual.

    É por isso que a identidade visual da sua marca é importante na visão da empresa como um todo. É através da identidade visual que você capta seu cliente imediatamente. Então, tenha como objetivo criar um apelo emocional e não apenas transmitir as informações básicas sobre sua empresa.

     

    Como pensar na sua marca

    Pense na sua marca através da perspectiva de um cliente. A sua marca não é o que sua empresa é, mas o que o cliente pensa e sente sobre ela.

    Profissionais talentosos que desenvolvem marcas sabem que a identidade visual da marca é uma das partes mais importantes e que interferem diretamente na resposta emocional do cliente.

    Todos os elementos visuais devem manter os mesmos padrões fixados no começo no decorrer da vida da sua empresa. É claro que se for necessário realizar algum tipo de mudança ou criar uma campanha específica com algo diferente, não há problema, mas certifique-se de que a identidade geral está sendo mantida.

     

    Características de uma ótima identidade visual

    Obviamente, não há regras que possam ser aplicadas exatamente iguais a todos os produtos e campanhas, mas há alguns fatores básicos que você deve ter em mente para aplicar em seus negócios, fazendo com que ele seja realmente seu.

    Em primeiro lugar, não inicie despreparado. Conheça bem o seu produto, garanta que sabe exatamente o que sua empresa é e o que ela representa. Em segundo lugar, faça essa mesma certificação com sua base de clientes.

    Dessa forma saberá exatamente o que está tentando promover e para quem está fazendo isso! Crie então a sua marca em torno disso, utilizando de ferramentas e conceitos ajustados à necessidade encontrada.

     

    • Seja único

    Não se esqueça, seu negócio possui concorrentes diretos e indiretos e sempre estará competindo com inúmeros outros no mercado. Se destaque! Com um olhar rápido, o cliente deve ser capaz de diferenciar sua marca de todas as outras. Não basta apenas querer ser diferente e sim saber o que de fato diferencia sua marca dos demais e ai então comunicar isso da forma mais atrativa possível. Identifique o que torna seus produtos ou serviços exclusivos e encontre uma maneira de transmití-los visualmente.

     

    • Seja consistente

    Sua campanha publicitária deve abranger mídias on-line e tradicionais, sendo que ambas devem ser adequadas ao seu segmento. Campanhas sazonais também são importantes, colocando em destaque algumas ofertas especiais. Mas ainda sim, sua identidade visual deve permanecer consistente, independente de quais canais ou tipo de oferta esteja trabalhando na sua campanha. O cliente deve ter a certeza de que é a sua empresa que está promovendo aquela campanha, reforçando o profissionalismo e despertando a confiança e autoridade da sua marca aos clientes.

     

    • Certifique-se de que sua identidade visual não possa ser mal interpretada

    Sua marca será submetida a analise e críticas de qualquer pessoa que entrar em contato com ela. Somado a isso, o poder da internet em levar sua marca mais adiante em uma velocidade inestimável, quando a identidade visual não comunica exatamente a intenção que nela existe, pode ser fatal para a empresa. Tenha um olhar clínico e crítico para a sua identidade visual, evitando que alguém encontre algo inadequado ou que não entenda a intenção de comunicação que nela foi depositada. Hoje em dia isso é fundamental, uma vez que estamos expostos mundialmente através das redes sociais e outros canais de alcance global e diferentes pessoas de diferentes gostos e culturas poderão ter contato com sua empresa.

     

    Criar a identidade visual da sua marca é uma tarefa longa e trabalhosa. Portanto, é crucial levar muito a sério a criação da mesma. Mas a recompensa de um bom trabalho com certeza virá!

    Se após a leitura desse artigo, você compreendeu a importância da criação de uma boa identidade visual, podemos te auxiliar com isso.

     

    Aqui na I9ME contamos com profissionais com experiência para lidar com esse tipo de desafio e nossa proposta é apoiá-lo através de um trabalho pautado em resultados e que contribuam para a superação dos obstáculos do mercado. Conte conosco!

     

  • 25/09
    As soluções do marketing para quem está começando um novo negócio
    0

    BLOG I9ME - Desafios de quem está abindo um novo negócio
    Este é o primeiro artigo do nosso blog e para inaugurar a novidade escolhemos um assunto o qual já vivenciamos, “as soluções do marketing para quem está começando um novo negócio”. O texto aborda os principais desafios de quem apostou no empreendedorismo e lançou-se no mercado, mas agora vê o seu sonho de ser patrão se misturar com o pesadelo da falta de tempo com a família e amigos, somado à uma receita ainda abaixo do planejado.

    Marketing paga novo negócioEntrar em um mercado e manter-se nele nunca foi e jamais será uma conquista fácil. Na esteira das dificuldades destacamos questões como o embate com a concorrência, a falta de clientes e o anonimato da marca.

    Por mais que o empreendedor tenha se preparado para este momento, depois que ele abre as portas não lhe sobra mais tempo, por tanto,  sozinho, fica difícil de se ter um radar rastreando constantemente possíveis gargalos prejudiciais ao seu negócio, seja por um uma questão de precificação, localização, comunicação, entre outros.

    Para conquistar um mercado, apenas ter um bom produto ou serviço não basta, esse é apenas o primeiro “P” do marketing e também o motivo pelo qual toma-se a decisão de empreender. É necessário também muita pesquisa e planejamento, com foco nas características dos clientes, mapeamento de mercado e estudo da concorrência, com base nisso é que se baliza questões como o preço de determinado produto e qual a praça para a sua distribuição, respectivamente o segundo e o terceiro “P” do Marketing.

    Com a posse de informações estratégicas sobre o cliente e a praça, é hora de o mercado conhecer a empresa e os produtos e/ou serviços que ela entrega, promovendo-os através dos meios e mensagens mais adequados ao público-alvo. Recomenda-se a criação de um bom plano de branding, onde nele será estabelecido o posicionamento da marca, quais as suas características físicas e emocionais, que imagem ela terá e que mensagem ela dirá. Além da marca, deve-se ter uma estratégia de comunicação para os seus produtos, enaltecendo os seus diferenciais e vantagens. Essas são as ações de promoção, e com ela nós concluímos o quarto dos 4 “P’s” do Marketing.

    E se você pudesse se dedicar-se, exclusivamente, à operação do seu negócio sem ter que se preocupar com tantas outras coisas? Certamente, teria infinitamente mais chances de fazer tudo acontecer conforme o planejado, economizando assim tempo, dinheiro e esforço.

    Nós da I9ME Web & Design, conhecemos de perto cada uma dessas áreas e existimos com o propósito de solucionar os problemas de lançamento de um novo negócio, através das soluções encontradas na esteira do marketing. Dentre os quais, nós destacamos três deles: A o branding, a presença on-line e a força de vendas.

    • Branding: Pesquisa e planejamento para criação e posicionamento de uma marca, projeto de identidade visual, design gráfico para criação de anúncios;
    • Presença Digital: construção de projeto de presença digital que conta com o desenvolvimento de sites, e-commerce (loja virtual), blogs, otimização para mecanismos de busca – SEO, UX / UI design e Arquitetura de Conteúdo;
    • Força de Vendas: desenvolvemos ferramentas e plataformas digitais voltadas para a gestão de atendimento, relacionamento e vendas.

    UX / UI / Planejamento maketing para novo negócio - I9ME WEB & DesignA I9ME tem khow-hall e experiência para lidar com esse tipo de desafio e por isso, nossa proposta é apoiá-lo através de um trabalho pautado em resultados para que você possa seguir seu sonho com segurança, sempre olhando para frente e superando qualquer desafio.